Meu Diário
15/05/2007 23h46
Canseira
Tenho corrido, trabalhado, corrido, ...

Já não sei mais que horas durmo, nem tão pouco, a que horas vou acordar.
Não sei se estou sorrindo de alegria, de cansaço, ou da pura magia de ser feliz.

Sim, feliz porque o sol brilha lá no céu, e mesmo em dias nublados, a alegria de viver está presente, porque tudo faz parte do MEU presente.

Fazer poesia, um dia foi um ato de amor, um dia foi um grito de dor, foi um pedido de socorro, foi muitas vezes, uma forma de dizer ao mundo que amava.

Hoje, poesia é mais que alegria, é a magia de se estar vivo, lutando, sobrevivendo, cantando porque o mundo existe, porque as oportunidades estão ai, porque as pessoas são encontradas, reencontradas, enfeitiçadas, descoladas, amadas, e todos os adas possíveis.

Poesia porque o corpo está cansado – trabalho, correria, amigos, amizades novas, amizades velhas, novos amores, novas paixões, tudo de bom!

Eu disse no final de 2006 que 2007 seria diferente. Reconheço que começou mal, ficou pior, depois pior ainda, mas no pior das coisas, o melhor é revirar e reviver, e não somente sobreviver, mas viver com vontade e afinco e colher os frutos no final.

Quero fazer muita poesia, amar muito, sorrir mais ainda, chorar se preciso for, e vencer em 2007. Meus caminhos, eu os traço. Meus erros, eu sei quando reconhecê-los. Meu perdão está dado. Finalizado. O importante é saber, que além de mim, ninguém sabe o que é melhor para MIM!

Publicado por Fátima Batista em 15/05/2007 às 23h46
 
11/05/2007 23h48
Diário do Grande ABC
Vivo literalmente no ABC – Vivo em Santo André, Trabalho em São Bernardo e São Caetano!!!!
Trabalho em dois lugares?!
Sim, na verdade, em três!!

Finalmente, depois de levar um baile de um contador picareta, estou com a loja completamente legalizada! UFA!
Ela fica em São Caetano, mas como abri mão de trabalhar como empregada, estamos também (eu e minha irmã – ela fica na loja) com o Estande no Extra da Anchieta. Agora UFA mesmo! Aja condição física para tanto trabalho.
E sem contar que parte do que é vendido na loja e no estande sai do meu atelier. Bom, logo após terminar este texto vou para lá. Ainda vou trabalhar até umas duas horas. Depois, dormir e levantar amanhã bem cedinho pois levei um cano da faxineira. Já é o segundo sábado seguido! Ninguém merece, fala a verdade. Bom, pra ser sincera, até que é bom. Estou sem dinheiro pra nada, então, sem faxineira é economia, mas, como não posso deixar a casa mergulhar na sujeira, preciso eu mesma limpá-la.
E ainda tem Michelli. Amanhã teria que levar para tomar banho. Não tenho tempo. Acho que vou eu mesma dar um banho na cachorra. Rsrs literalmente!

Estou feliz? Sim, como há muito não estava. Estou fazendo o que gosto – aproveitando os talentos que Deus colocou em mim, que são os trabalhos manuais. Estou com quem gosto (ou seria amo?? Rsrs), com os amigos que adoro, com as pessoas que me respeitam e a quem também respeito.

Faltam coisas? Faltam! Sempre faltarão senão não terei mais objetivos na vida. Meu objetivo hoje é corrigir alguns erros. Mas isto leva tempo.

Ah, pra quem é do ABC ou até mesmo de São Paulo, se quiser conhecer a loja, se tiver filho pequeno, ou estiver esperando bebê, se quiser comprar um presente bonito para a mãe, namorada, esposa, etc, passe lá na loja – coincidentemente fica na Rua São Paulo – Espaço Mágico!

Publicado por Fátima Batista em 11/05/2007 às 23h48
 
03/05/2007 00h41
Retorno
Deixei meu site fora do ar por mais de um mês. Precisava de um tempo. Um tempo sozinha.

Aproveitei pra remover muitas coisas que aqui havia. Poesias, diário, acrósticos, etc. Não quero mais mostrar minh’alma. Deixe a guardada, somente para mim.
Não quero mais partilhar dores. Deixe-as no esquecimento. Importante: removi mas não apaguei, pois são meus fragmentos.

Tirei também poesias que comprometiam, não pelo escuso mas por saudades ocultas.

Quero-me livre. Quero-me feliz. Quero-me outra pessoa. Ficar fora por um tempo serviu para reciclar a alma. Ver o mundo de forma diferente. Cheguei e vi que pouco aconteceu. Também, não tenho olhado à volta para descobrir segredos e não segredos. Estou olhando somente lá na frente.

Saí do túnel. Levou mais de um ano, mas o túnel ficou finalmente para trás. Impossível esquecer os motivos que me levaram à ele, mas a vida não é composta de esquecimento, e sim de lembranças.

E de mim, ninguém jamais tirará as lembranças. São minhas. Fazem parte do meu legado. Fazem parte da minha essência. São retratos e estes retratos compõem a minha história. História de Fátima, assumidamente romântica, impulsiva, avassaladora.

Sei que a história segue rumos tortuosos, e sei também que um dia lá frente, as histórias voltam a se cruzar. Esperarei para ver o rumo da minha história. Não importa mais se aqui ou lá, hoje ou amanhã, importa que posso olhar no espelho e ver novamente os meus olhos (... nesta manhã o mar invadiu meus olhos...).
Importa que todos os componentes da minha história estão agrupados, dentro do meu coração (Amor de minha vida), dentro da minha mente, e que isto pertence somente a mim, tal qual cadeia de DNA. Não importa quem, individualmente, faça parte dela. Importa que eu faço parte da tua história, e ela aqui está escrita, e os meus olhos, mesmo com águas do mar, não a esquecerão.

Para o dia nascer feliz!

Publicado por Fátima Batista em 03/05/2007 às 00h41



Página 5 de 5 1 2 3 4 5 [«anterior]