Textos

Amanheço

Amanheço.
O olho mágico da câmera me olha
Não tem mais sentido.

Olhos de vidro
Do pequenino cachorro
Lembra outros olhos
Do pequenino gato.

A vida passa como um filme
Em uma louca exposição
Vai e volta, sem seqüência lógica
Sem nenhuma razão.

Lembro de outras manhãs
Lembro de curvas, volantes e estradas
Lembro de portões automáticos
Lembro de queijo, café e beijos.

Fátima Batista
Enviado por Fátima Batista em 07/05/2006
Alterado em 12/12/2007
Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários