Textos

A vida em Marte

Há um ano levei uma rasteira profissional. Fui ao chão e lá fiquei.
Muitos meses depois consegui um trabalho, que não era nem de longe algo parecido com o que sempre fiz. Recomecei. Com 45 anos. Recomecei do zero.
Não foi a primeira vez. Já havia acontecido anteriormente.

Seis meses depois de estar neste trabalho, surgiu uma possibilidade de promoção. Resolvi concorrer. Primeira etapa era apresentar currículo e o desempenho dos últimos 6 meses. Passei pela primeira fase e junto a mais 120 pessoas fui para a segunda fase. Provas de português, matemática e conhecimento técnico.

Saí da prova com a sensação que teria feito tudo errado. Uma semana atrás veio o resultado desta segunda prova. Havia passado. Notas: 10 em português e matemática! DEZ! O único DEZ da turma toda. Quem chegou mais próximo tirou oito. Tantos anos depois de sair da faculdade, eu tirava dez! E detalhe – em português e matemática! Impossível ser bom nos dois!

Eu sou!

E passara também na prova técnica. Selecionados 50 pessoas para a nova etapa: Dinâmica de Grupo. Três dinâmicas entre as mais diversas culturas, homens e mulheres, garotos, adultos e a “velhinha” aqui. Era a mais velha da turma. Meio deslocada, meio sem jeito, meio assustada, encarei o leão. Segunda-feira saiu o resultado:




Eu fui promovida!!!




Não adiantou a rasteira, a calúnia, a difamação. Não adiantou o me sentir tão pequena durante tantos meses. Não adiantou a dor que tirava o fôlego. Não adiantaram as dificuldades. Não adiantou aquele meu desistir de tudo, aquele meu fracasso tão declarado, tão imposto, engolido à seco. Nada disso adiantou p’ra acabar com a minha força, com esta minha capacidade de levantar, dar um passo por vez e chegar lá novamente.

Diante de todas as adversidades de 2007, consegui me reerguer, levantar a cabeça, matar um leão por dia – à mão – e continuar vivendo, crescendo, amadurecendo e tendo cada vez mais certeza que tudo está ao nosso alcance, desde que realmente lutemos por isso.

Mundo, aqui me tens de regresso!

E quem não estiver satisfeito, que vá morar em Marte!
Fátima Batista
Enviado por Fátima Batista em 02/04/2008
Alterado em 29/06/2009
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários